Trabalhe sua criança interior e viva a vida mais leve

postado em: Blog, Destaque, Espiritualidade | Comments

É normal dizermos que passamos por diversas experiências ao longo de nossas vidas, somos cobrados interna e externamente em nosso trabalho e estudo e passamos a ver a vida de uma forma mais dura e séria. Isso é importante para o nosso amadurecimento, para adquirirmos experiências e crescermos como pessoa, mas com o tempo muitos de nós passamos a acreditar que para ser adulto e ser responsável é preciso ser rígido e duro, isso acontece quando a pessoa cresce e se frustrada, sofre com acontecimentos e experiências, acumula conflitos e situações mal resolvidas, passando a ter medo de sentir, medo de se entregar, de se frustrar mais e não consegue mais ver a vida de forma leve, se torna uma pessoa rígida e muitas vezes amarga.

Crescer é saber amadurecer harmonicamente, respeitando cada etapa da vida, aproveitando cada momento, sabendo ser responsável, sério sem perder a leveza e espontaneidade, precisando aprender a rir de si mesmo de vez em quando, fazer piadas, reservando sempre um tempo apenas para relaxar e fazer o que gosta.

Todos nós temos a chamada “Criança Interior”, que é a nossa parte espontânea, criativa, brincalhona, leve, inocente, cheia de imaginação e que vê a vida de uma forma mais leve e simples. Conforme vamos endurecendo, deixamos essa nossa parte de lado, escondendo valores que tínhamos quando criança, ferimos a nossa criança interior toda vez que “lutamos” contra a nossa imaginação, quando não somos espontâneos, quando somos duros com nós mesmos, nos sentimos rejeitados, quando não equilibramos o racional com o emocional, etc. Esse nosso lado fica ferido e se esconde dentro de nós, ficando oculta e reprimida sempre que não permitimos que esse nosso lado se manifeste.

Mesmo com as nossas responsabilidades e desafios, podemos permitir que ela se manifeste nos momentos certos e de forma equilibrada, trazendo diversos benefícios, como por exemplo:

– Permite sentir plenitude e a leveza na vida;

– Nos conecta com a nossa verdadeira essência;

– Permite reviver um lado alegre, carinhoso, amoroso, sensível, impressionável, espontâneo e inocente dentro de nós;

– Ressignifica antigos problemas, dores e feridas;

– Permite a compreensão de seus sentimentos, comportamentos e as crenças que possui atualmente;

— Sentir-se realizado e completo, independentemente de como esteja a nossa vida;

– Aumenta a criatividade e a imaginação;

– Melhora a visão criativa para a solução de problemas;

– Permite vermos a vida com outros olhos.

 

Como Cuidar de sua Criança Interior

 

A cura de sua criança interior permitirá se conectar com o que há de mais valioso dentro de si, auxiliando na cura de problemas antigos, ressignificar traumas e se liberar do passado, permitindo que se sinta livre, vivendo com melhor qualidade seu presente, se conectando com seus potenciais com maior facilidade. Para isso, separamos algumas dicas de como poderão trabalhar e curar a sua criança interior:

 

  1.  Conecte-se com a sua criança Interior:
    Para isso poderá pegar um momento para meditar sobre a sua infância, podendo ver fotos, brinquedos ou objetos que eram seus quando criança, sentindo cada momento como se fosse agora, sentindo o significado de cada coisa, sinta-se novamente como criança por um tempo. Se conecte a alguma memória, algum momento marcante de sua infância, revivendo os sentimentos deste momento, sentindo também como você era nesta época, quais eram seus desejos, o que você gostava de fazer, onde gostava de ir, etc. Compare-se com seu momento atual, observando a sua personalidade na época e agora, como você se relacionava com os amigos, familiares, etc.
    Se vier alguma coisa feliz se conecte a esse sentimento e deixa-o fazer parte de si. Se vier algum sentimento triste, reflita sobre ele, aceite-o como parte de si, parte de seu crescimento, procure uma forma de perdoá-lo e perdoe, deixe-o no passado, liberte-o.
  2.  Converse com sua criança interior:
    Aproveite esse momento de conexão, medite conversando com você quando era criança. Prove falar o que você gostaria de ter ouvido quando era criança, consolando se for necessário, incentivando, orientando ou simplesmente falando alguma coisa descontraída, para alegrar a criança. Crie um vínculo através do diálogo, perguntando o que essa criança precisa, o que ela está sentindo, etc. Mostre que você estará sempre ali para essa criança, nos bons e maus momentos, amando-a sempre, cuidando e guiando da melhor forma possível.
    Agora ouça o que essa criança tem a te dizer, pergunte algo a ela, pergunta a opinião sobre algo que está vivendo, pensando em fazer, sobre suas escolha e sinta o que ela acha sobre isso, sinta o que ela acha sobre a sua vida atualmente, o que ela gosta e não gosta, perguntando sobre como poderia melhorar. Vocês se surpreenderão com as respostas e as broncas que irão levar de sua criança interior nesse momento. Essa dinâmica auxiliará muito em sua tomada de decisão, nas transformações em sua vida e no autoconhecimento.
  3.  Cuide de sua criança interior:
    Durante a meditação, visualize você quando criança aparecendo a sua frente, observe como está se sentindo nesse momento. Segure a criança nas mãos e depois abrace-a, passando segurança e amor a ela. Nesse momento converse sobre o que sentiu com a primeira dica, falando que agora está tudo bem, que aqueles acontecimentos do passado não existem mais, que agora você cresceu e ficou tudo bem, não precisa ficar triste ou ter medo. Mostre para essa criança o que aprendeu com esses acontecimentos, mostrando o lado positivo de tudo, procurando ressignificar esses acontecimentos, sentimentos e experiências. Converse explicando a sua visão agora como adulto, explicando que às vezes algumas pessoas magoam a outra sem querer, as vezes achando que está fazendo o que é melhor para a outra, assim como a falta de atenção ou carinho dos pais não quer dizer falta de amor, esse amor pode ter sido expressando de uma outra forma, etc.
    Faça com que ela se sinta acolhida, protegida e amada. Siga a sua intuição e observe o que ela está precisando neste momento, interaja com ela, console-a, brinque, etc. Fique pelo tempo que sentir necessário, repetindo esse exercício até que a criança que você está vendo esteja feliz e curada.
  4.  Escreva para a sua criança interior:
    Medite imaginando que poderia enviar uma carta no tempo para ser lida por você quando era criança. Escreva tudo o que sente que seria importante dizer para você naquele momento, escreva dicas e orientações que você gostaria de ter recebido nesta fase. Escreva tudo o que gostaria de dizer para esse seu eu criança, pedindo desculpas pelo que for necessário, incentivando, guiando e falando tudo o que você diria para o seu eu criança se você pudesse voltar no tempo para conversar com ela e tudo o que gostaria de ter ouvido nesta fase que poderia ter ajudado de alguma forma, explicando sobre os desafios e aprendizados que ela irá passar e como ela irá superar isso. Aproveite para dizer mostrando o quanto ela consegue ser forte, o quanto essa criança é especial, etc.

 

Todas essas dicas poderão ser utilizadas a qualquer momento, e esse contato com a criança interior deverá continuar mesmo sentindo que ela está curada. Esse contato irá ajudar a manter a leveza na vida, ajudando a se tornar um adulto mais alegre, espontâneo, criativo e confiante. Conhecer a criança interior auxiliará em seu autoconhecimento, pois a pureza dessa criança permitirá o contato com a nossa verdadeira essência, se conectando com o seu eu sem máscaras e sem crenças limitantes que adquiriu ao longo de sua jornada, permitindo também compreender seus desejos e seus sentimentos e o que está impedindo de sentir a felicidade e a plenitude.

Saiba mais sobre nós. nossos cursos e atendimentos em: http://antahkarana.com.br